SÃO MIGUEL EM ALTA

SÃO MIGUEL EM ALTA

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

No RN, bispo diz que homossexualidade é 'dom de Deus' e gera polêmica entre fiéis



Um dos principais líderes da Igreja Católica no Rio Grande do Norte causou polêmica ao afirmar que a homoafetividade é um dom de Deus. "Se não é escolha, se não é doença, na perspectiva da fé só pode ser um dom", afirmou o bispo de Caicó, Dom Antônio Carlos Cruz Santos. O município fica na região Seridó, em pleno sertão potiguar. Veja a fala do bispo no vídeo acima. 

O comentário do clérigo foi feito no último domingo (30), durante a missa de encerramento da Festa de Santana de Caicó – um dos mais tradicionais eventos religiosos do estado. Ao fim de sua fala, ele foi aplaudido pelos fiéis presentes à celebração. 

"O evangelho por excelência é evangelho da inclusão. O evangelho é porta estreita sim, é um amor exigente, mas é uma porta sempre aberta. Deus nunca fecha porta para ninguém", afirmou o bispo. 

"Por isso, talvez, seria momento, assim como fomos capazes de dar um salto, na sabedoria do evangelho, de vencer a escravidão; não está na hora de a gente dar um salto, na perspectiva da fé, e superar preconceitos contra os nossos irmãos homoafetivos?", questionou. 

O bispo ainda considerou que a homoafetividade não é uma opção, mas uma orientação. Argumentou que desde a década de 1990 a Organização Mundial da Saúde não considera a relação entre pessoas do mesmo sexo como doença. 

"Se não é escolha, se não é doença, na perspectiva da fé só pode ser um dom, é dado por Deus. Dom é isso. É dado por Deus, não tem jeito. Mas talvez os nossos preconceitos não consigam perceber o dom de Deus", ponderou.
 Reações
O vídeo da transmissão da missa viralizou nas redes sociais e gerou polêmica entre os fiéis. Na página da Diocese de Caicó no Facebook, pessoas usaram o espaço destinado aos comentários para criticar o religioso. 

"Dom Antônio Carlos Cruz conseguiu transformar um pecado grave em dom de Deus", diz um dos comentários. "A Santa Sé tomará conhecimento desta heresia, proclamada dentro da Igreja Católica", afirma outro usuário, que chama o bispo de inimigo da igreja.
Também houve manifestações de apoio ao religioso. Uma mulher que afirma ser do Paraná disse que conheceu Dom Antonio por meio das redes sociais e considerou que o posicionamento é um novo passo para a religião. 

"Quero agradecer o senhor pela sua fala e pela sua delicadeza ao tratar deste assunto que faz parta da minha vida. Meu filho é homossexual, bispo", comenta ela. O grupo Cáritas Diocesano publicou uma nota de apoio ao clérigo, considerando que o bispo cumpriu "missão profética" de denunciar injustiças sociais. 

O G1 procurou Dom Antônio Carlos Cruz Santos, mas ele afirmou que prefere não dar entrevistas no momento. Já a Arquidiocese de Natal informou que não vai comentar a declaração do bispo e considerou que ele tem autonomia e liberdade de ideia e pensamento.

Durante a mensagem na missa de encerramento da Festa de Santana, dom Antônio Carlos Cruz Santos afirmou ainda que ouviu uma entrevista com o autor de um estudo sobre suicídios entre travestis e transexuais.
 
G1RN