terça-feira, 27 de janeiro de 2015

AINDA ESTÃO ABERTAS ATÉ O DIA 30 ÁS INSCRIÇÕES DA 1º COPA SÃO MIGUEL DE FUTSAL SUB-17




As equipes que deseja participar da 1º COPA SÃO MIGUEL DE FUTSAL SUB-17 comunicamos que ainda tem vaga e pode procura a ficha de inscrição com João Paulo, Carlinhos de Chico Pedro enviem um E-mail para jpo-rn-sm@bol.com.br que enviaremos a Ficha e o Regulamento. 

Foram adotadas pela comissão algumas medidas mediante a inscrição do atleta que for completar 18 anos de fevereiro não poderá atuar na competição, o atleta que completar os 18 anos após o termino do campeonato esse sim poderá atuar, cada equipe tem que escrever 12 atletas e não poderá deixa vagas abertas e pagara a taxa de 100,00 reais e pode participar qualquer equipe da região e estados vizinhos, mas respeitando o limite de idade da competição. 

O congresso técnico para definir os chaveamentos dos jogos acontecerá na próxima sexta-feira 30 de janeiro as 19h00min na Biblioteca, e manter os dirigentes informados sobre a realização da competição e as inscrições enceram ao meio dia desta sexta-feira dia 30 os dirigentes tem que mandar via E-mail. 

 O inicio da competição esta previsto para o dia 10 fevereiro e de termino dia 01 o março e  todos os jogos no Ginásio de poliesportivo São Miguel saído para Pau dos Ferros a entrada é franca e a população Micaelense esta convidada a comparecer e prestigiar a garotada, 

1º COPA SÃO MIGUEL DE FUTSAL SUB-17 tem o apoio da Prefeitura de São Miguel através da Secretariaria Municipal de Educação e do Departamento de Esporte e toda cobertura será feita pelo blog São Miguel em alta.

Algumas equipes já confirmaram presença na 1º COPA SÃO MIGUEL DE FUTSAL SUB-17 são estas.

*Craques do Alto (São Miguel)
*Arcanjo F.C (São Miguel)
*Venha-ver F.C (Venha-ver)
*Newell’S Old Boys (Sitio Lagoa Nova / Pereiro Ce),
*Revelação F.C (Doutor Severiano)
*Arcanjo Segundo F.C (São Miguel)
*Micaelense(São Miguel)

Ainda falta confirma as seguintes equipes
Humildes F.C (Marcelino Vieira)
Fênix F.C (São Miguel)

penhense fica ferido ao colidir moto com ônibus escolar na BR 405, zona rural Rafael Fernandes/RN

Um motociclista ficou ferido no início da noite desta segunda-feira (26) ao colidir a moto que pilotava com um ônibus escolar na cidade de Marcelino Vieira/RN. O sinistro ocorreu na BR 405, altura do KM 158, zona rural de Rafael Fernandes/RN.

De acordo com informações, o motociclista foi identificado como Francisco de Assis Moreira de Oliveira, de 34 anos, residente no Sítio Ema, zona rural de José da Penha/RN, seguia pela rodovia sentido Pau dos Ferros/José da Penha/RN, pilotando um motocicleta Honda FAN, cor preta, placa NOH 8958/RN e após invadir a contramão de direção colidiu com o ônibus escolar da Prefeitura de Marcelino Vieira/RN, placa NOA 7767/RN que trafegava em sentido contrário, conduzido por Jocélio Morais de Lima, .


PM’s sob o comando do Sargento Divanildo, do Destacamento Policial de Rafael Fernandes, compareceram ao local e acionaram uma equipe do SAMU que socorreram  o motoqueiro para o HRCCA com escoriações pelo corpo, o motorista do ônibus permaneceu no local e relatou que  estudantes estavam no veículo. Nenhum deles se feriu.

A PRF se fez presente no local para procedimentos de praxe.

Obesidade faz crescer casos de diabetes tipo dois em crianças

Antes doença de adulto, diabetes tipo dois cresce entre crianças por causa de obedidade


Antes doença de adulto, diabetes tipo dois cresce entre crianças por causa de obesidade

Há pouco tempo atrás, seria estranho falar sobre diabetes tipo dois em crianças. Antes restrita ao universo dos adultos, a doença é consequência do que os especialistas chamam de "epidemia da obesidade", presente cada vez mais na infância.

A última pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), em parceria com o Ministério da Saúde, mostrou que, em 20 anos, o número de crianças acima do peso entre cinco e nove anos aumentou mais do que o dobro.

 
Saiba o que é diabetes tipo dois, qual é a relação do problema com a obesidade e como proteger o seu filho.
Qual é a diferença entre diabetes tipo um e tipo dois?

Na diabetes tipo um, o corpo não produz insulina, hormônio que transporta a glicose (açúcar) do sangue para dentro das células, serve como principal combustível para elas e que também age no processo de crescimento. "Já no diabetes tipo dois, o paciente produz insulina, mas o corpo tem sensibilidade diminuída ao hormônio, reduzindo assim seu efeito, como se não houvesse quantidade suficiente", afirma o pediatra endocrinologista Felipe Monti Lora, membro dos Centros de Excelência em Obesidade Infantil e Diabetes Tipo Um do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo. Essa condição é o que os médicos chamam de resistência à insulina.

Por que a obesidade infantil pode causar diabetes tipo dois?

O acúmulo de gordura corporal faz com que o corpo produza mais insulina, para tentar normalizar os níveis de glicose circulando no sangue, e a presença do hormônio em excesso é justamente o que causa a resistência a ele. "O pâncreas trabalha tanto para liberar insulina que chega à exaustão e para a produção, fazendo com que a glicemia comece a subir. Além disso, a própria gordura em excesso altera o mecanismo de ação da insulina", diz a endocrinologista Maria Edna de Melo, diretora da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica). Quando a glicemia sobe, é sinal de que a diabetes tipo dois já está se manifestando.

Sim, e o principal motivo é o aumento da incidência de obesidade infantil. "Nas ultimas décadas, as crianças ficaram mais sedentárias, tendo mais acesso a atividades como video game e televisão, além do fácil consumo de alimentos mais calóricos. Isso gera obesidade e contribui para o diabetes tipo dois", fala o pediatra endocrinologista Felipe Monti Lora.
Quem mais está sujeito à doença?

A genética também tem um peso importante, então se há casos na família é preciso redobrar o cuidado e a atenção para os exames de rotina e o controle de peso.
Como saber se meu filho tem diabetes tipo dois?

O acompanhamento de perto com o pediatra pode levantar as primeiras suspeitas. "O médico deve colocar a criança na curva de IMC (Índice de Massa Corpórea) adequada para a idade, para não haver o risco de subestimar o grau de adiposidade [acúmulo de gordura dos tecidos]", afirma a endocrinologista Maria Edna de Melo.


 O diagnóstico precoce é importante para evitar que o problema evolua. "A criança não se torna diabética de repente, na verdade, é um processo que costuma ser bastante longo. Por isso não devemos esperar a criança ter os sintomas clássicos, que são urinar muito, beber muita água e perder peso. Quando esses sinais aparecem, é porque o caso já é extremo", afirma o pediatra endocrinologista Ricardo Fernando Arrais.
Como é o tratamento?

O principal é adotar hábitos mais saudáveis para reduzir gordura corporal. Pais e irmãos devem apoiar e fazer juntos as mudanças necessárias no estilo de vida familiar. "É preciso reduzir a ingestão de alimentos ricos em açúcares, gordura e sal. As crianças obesas e com tendência a diabetes também sofrem risco de hipertensão e problemas cardíacos, por isso o ideal é mexer no pacote completo", diz a endocrinologista Maria Edna de Melo.

Praticar exercícios físicos, mesmo que sejam leves, também ajuda. Em alguns casos mais graves, pode ser indicado o uso de medicamentos e insulina.
Do UOL, em São Paulo

PF faz operação para investigar fraudes envolvendo prefeituras, Caern e DNOCS



Policiais federais cumprem sete mandados de busca e apreensão no RN
 Policiais federais cumprem sete mandados de busca e apreensão no RN

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira (27), em Natal, a Operação Itaretama, que objetiva desarticular uma associação criminosa que fraudava licitações em prefeituras do interior do Rio Grande do Norte e na Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN), além de direcionar obras promovidas pelo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS) e de desviar recursos públicos.
 Policiais federais cumprem sete mandados de busca e apreensão no RN

A investigação da PF teve início ainda no primeiro semestre de 2014 e revelou que servidores do DNOCS mantinham estreito relacionamento com empresários do setor de engenharia, fazendo com que contratações tenham sido direcionadas e licitações indevidamente dispensadas ou fraudadas.

As suspeitas recaem principalmente sobre as obras de construção de açude no Assentamento 3 de agosto (Pau de Leite), da adutora de Jucuri, em Mossoró e na adutora de engate rápido de Jucurutu, ambas situadas na Região Oeste do estado.

Há indícios de que as obras não foram devidamente fiscalizadas durante sua execução, com prejuízo ao Erário e, também, há fortes suspeitas de corrupção ativa e passiva. Paralelamente, parte do grupo investigado estaria combinando propostas de licitações em prefeituras do RN e na CAERN.

Cerca de 30 policiais federais estão cumprindo 7 mandados de busca e apreensão.O nome da operação significa “Região de Pedras” e, no passado, foi a denominação do município de Lajes/RN, local onde foi construída a primeira das obras sob suspeita.


 *Tribuna do Norte

Há 20 anos em análise na Câmara, redução da jornada de trabalho aguarda votação

Falta de acordo para inclusão da proposta na pauta do Plenário permanece. Tema deverá voltar a ser discutido em 2015.

A Câmara dos Deputados analisa há exatos 20 anos uma proposta de emenda à Constituição (PEC 231/95) que reduz a carga horária de trabalho de 44 para 40 horas semanais em todo o País. A última redução ocorreu na Constituição de 1988, quando as horas trabalhadas passaram de 48 para 44 horas semanalmente.

Desde julho de 2009, a proposta já está pronta para o 1º turno de votação na Câmara, após ter sido aprovada com o apoio de todas as centrais sindicais e em clima de festa na Comissão Especial da Jornada Máxima de Trabalho. Falta, no entanto, acordo para inclusão do texto na pauta do Plenário.

Em defesa da PEC, os sindicalistas citam estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioecômicos (Dieese), segundo o qual uma redução de 4 horas criaria cerca de 3 milhões empregos e aumentaria apenas 1,99% os custos totais das empresas.

O líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), que relatou a proposta na comissão especial, destaca que a Convenção 47 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) recomenda as 40 horas semanais como carga horária adequada para os trabalhadores. “Já está provado que a redução da jornada de trabalho não traz prejuízo para os empresários”, sustenta. “Ocorreu a redução em 1988 [de 48 para 44 horas] e em 10 anos as empresas cresceram 113%”, completou.

Resistência

De outro lado, o empresariado mantém resistência. Para os patrões, a Constituição já permite a redução da jornada por meio da negociação coletiva, não havendo necessidade da mudança. Além disso, segundo eles, a medida seria prejudicial para micros e pequenas empresas, que não teriam como arcar com o aumento de custos em razão da redução.

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF), Adelmir Santana, afirma que a PEC encareceria os custos da contratação. “Se uma empresa tem o propósito de funcionar 24 horas initerruptamente e diminui a carga horária de seus trabalhadores, ela, obviamente, vai precisar de mais trabalhadores. Isso vai aumentar o volume de empregos, cabendo a cada empresa avaliar se o seu negócio suporta isso”, disse.

Para Newton Marques, economista e professor da Universidade de Brasília (UnB), a redução da jornada por imposição legal será acompanhada do aumento de preços ou da informalidade. Ele diz ainda que a redução da jornada com manutenção dos salários pode implicar em perda de competitividade em comparação a outros emergentes como Chile, África do Sul, Índia e China. “Se eles não têm essa redução de jornada com manutenção de salário, nós passamos a perder competitividade, uma vez que nosso preço final vai ficar mais alto.”

Para passar a valer, a PEC que reduz a jornada de trabalho precisa ser aprovada em dois turnos nos Plenários da Câmara e do Senado.

Íntegra da proposta:

Reportagem – Murilo Souza
Edição – Daniella Cronemberger

Cirurgias do SUS em Mossoró serão feitas todas na Casa de Saúde Dix Sept Rosado

Até o final desta semana será concluída a reforma e adaptação de quatro salas cirúrgicas na Casa de Saúde Dix Sept Rosado (CSDR) para fazer as cirurgias eletivas ortopédicas de Mossoró e região custeadas exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A CSDR está sendo administrada pela junta administrativa comandada pelo juiz Orlan Donato desde outubro de 2014. Começou com 30 leitos. Em novembro, ampliou para 60. Em dezembro passou para 72 leitos. Atualmente faz mais de 350 partos por mês.

“E pode fazer até 700 partos se for feito os investimentos corretos”, destaca a chefe da junta administrativa Larizza Queiroz. No caso de atingir este patamar, vai está atendendo toda a demanda da região oeste do Rio Grande do Norte para partos de baixo, médio e alto risco.

Em tese, a CSDR voltou a funcionar. Mas não é só. Com os recursos arrecadados em função dos atendimentos feitos pelo SUS, a CSDR vai abrir mais 30 leitos para funcionar o Programa Mãe Canguru. O local está sendo reformado, recebendo móveis e refrigeração adequada.

Como sobra espaço, a junta administrativa decidiu por investir cerca de R$ 300 mil para colocar em funcionamento quatro centros cirúrgicos. “A nossa meta é fazer por mês, em média, 300 cirurgias eletivas custeadas pelo SUS”, destaca Larizza Queiroz.

Com as cirurgias eletivas sendo feitas, a secretária de Saúde Leodise Cruz, da Prefeitura de Mossoró, diz que o Hospital Regional Tarcísio Maia terá mais espaço para atender melhor a população de todo o Oeste do Rio Grande do Norte.

 Estes pacientes aguardavam para fazer este tipo de cirurgia nas enfermarias do HRTM. Como não havia como a Prefeitura de Mossoró viabilizar a contratação dos profissionais, existe uma fila enorme de pacientes aguardando cirurgias eletivas de tipos variados.

Além destas salas cirúrgicas, que estão praticamente prontas, estão sendo preparados outros 34 apartamentos, para o restabelecimento dos pacientes no período pós-cirúrgico. “E ainda vamos ficar com espaço sobrando para outros 34 apartamentos”, destaca Larizza Queiroz.

Com outro investimento aproximado a R$ 400 mil, também do SUS, estão sendo concluída para ser inaugurada logo nos próximos dias, uma Unidade de Terapia Intensiva Adulto (UTI) com 9 leitos, para também desafogar o HRTM.

“Metade dos equipamentos já temos, a reforma está praticamente concluída e esta semana vamos conversar com o secretário Estadual de Saúde, Ricardo Lagreca, para conseguir os equipamentos que faltam e colocar a UTI em funcionamento”, acrescenta Larizza Queiroz.

Para os próximos dois meses, Larizza Queiroz já tem sinal verde do juiz Orlan Donato para colocar em funcionamento também uma UTI Neonatal, com pelo menos 10 leitos. O espaço já está reservado e os equipamentos sendo revisados. Falta só a adaptação física.

A gestão da Junta Administrativa designada pela Justiça Federal para administrar a CSDR, prova que é possível hospital funcionar só com recursos do SUS.

Jornal de Fato

Polícia Federal deflagra operação para coibir empréstimos irregulares

Polícia Federal apreendeu mídias e documentos comprometedores  - PF

A Polícia Federal (PF) deflagrou ontem a “Operação Mutuum” (o nome é originário do latim e significa “empréstimo”)”, destinada a desarticular grupos criminosos constituídos para captar recursos de terceiros e conceder empréstimos, atividade típica de instituição financeira e, consequentemente, sem autorização do Banco Central do Brasil.

A investigação, que teve início em dezembro de 2013, apurou que pessoas, em nome próprio ou através de empresa de factoring, concediam empréstimos praticando taxas de juros acima do previsto em lei e, no caso da empresa, as operações estavam desvinculadas das atividades de seus clientes.


De acordo com Rubens França, delegado da PF responsável pela operação, foram recolhidas uma série de mídias, computadores e documentos que podem comprovar as irregularidades apontadas pelos investigadores. Também foram recolhidos cheques, documentos de crédito e dinheiro que estavam na empresa.


Ao todo foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em Natal e utilizados 16 policiais federais na ação. O delegado explicou que a partir de agora as mídias serão analisadas para que possa ser iniciado o processo de indiciamento dos envolvidos, se comprovadas as práticas ilícitas. No período de 60 a 90 dias deverá ser divulgado o relatório final da PF.


O mossoroense 

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Desabastecimento de água atinge 80% dos municípios no RN




Situação mais crítica de falta de água é constatada nas regiões do Alto Oeste, Seridó e litoral Sul.

A falta de água no Rio Grande do Norte atinge 80% dos municípios do Rio Grande do Norte. Em oito deles, o colapso de abastecimento é total com falta de água nas torneiras e nos outros, o rodízio semanal no abastecimento é constante.


As três regiões mais críticas do Rio Grande do Norte são: Alto Oeste, Seridó e litoral Sul. 


Os municípios em colapso são: São Miguel, Tenente Ananias, Paraná, João Dias, São Francisco do Oeste, Antonio Martins e Luis Gomes no Alto Oeste e Carnaúba dos Dantas na região Seridó.


A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) monitora 46 reservatórios de água que tem reservatório acima de 5 milhões de metros cúbicos. "A situação é preocupante no caso do Gargalheiras, Pau dos Ferros e Alexandria", destaca o secretário. 


De acordo com o secretário, atualmente, o Gargalheiras possui 2,52% de água, o que chamamos de volume morto e Pau dos Ferros 1,52%.   


Os outros reservatórios - Umari, Santa Cruz, Armando Ribeiro e Bonfim - estão em melhor situação. "A barragem Armando Ribeiro Gonçalves é a maior do Estado com mais de 2 bilhões de metros cúbicos", destaca.

No caso do abastecimento metropolitano, feito com água da Lagoa do Bonfim "não há previsão de risco", conta o secretário.

Mairton França disse ainda que o planejamento do abastecimento inclui o que está sendo feito nos estados nordestinos do Ceará, Pernambuco e Paraíba com integração das bacias.

Nominuto